Arquitectura románica (s. XII-XIII)

Arquitectura románica (s. XII-XIII)

Vigo: Arquitectura románica (s. XII-XIII)

Em documentos medievales relativos à a cidade citam-se até 15 igrejas románicas dos séculos XI, XII e XIII. De todas estas igrejas tão só ficam em pé as igrejas de Santiago de Bembrive, Santa María de Castrelos e San Salvador de Coruxo.

A partir do ano 1000 inicia-se um movimento unitario artístico internacional, ao igual que tinha sucedido séculos dantes com a arte romana. A este novo movimento cultural medieval europeu chamou-se-lhe románico.

A arte románico vai ir variando ao longo do território e de três etapas temporárias. O primeiro período ou primeira arte románico desenvolve-se entre os anos 950-1075 e caracteriza-se por raízes italianas com uma arte singela com cobertas de madeira e de tamanho pequeno. Deste período mal existem 3 exemplos na Galiza.

O segunda arte románico ou románico pleno compreende nos anos 1075-1150, com raízes francesas, maiores volumes, variação de plantas e uma grande presença de igrejas de planta basilical com três ábsides semicirculares na cabeceira. As igrejas románicas da Galiza desta etapa constitui mal um 10% do total.

A terceira etapa, anos 1150-1250, recebe o nome de tardorrománico, protogótico, románico de inércia ou románico de descomposição . Esta é a etapa de dissolução do románico a favor do gótico. As vidrieras farão seu aparecimento e as plantas não vão ater muita variação em dimensões com respeito ao período anterior. Esta etapa é a etapa do afloramiento románico na Galiza.No último terço do século XII, baixo o reinado de Fernando II, Vigo vive-se um período de explendor económico e social. Nesta situação as velhas igrejas do município ampliam-se e constroem-se outras novas. As igrejas do município de Vigo entram todas neste período.

IGREJA ROMÁNICA DE BEMBRIVE
IGREJA ROMÁNICA DE BEMBRIVE

A igreja románica de Santiago de Bembrive data do último terço do século XII. Tem sofrido várias reconstruções, como as últimas obras de reabilitação da coberta. A planta actual é de uma única nave de 20 por 6,50 metros com ábside poligonal. Os aspectos mais significativos de sua origem románico são os motivos icnográficos das portadas e os motivos decorativos dos canzorros no ábside da cabeceira.

IGREJA ROMÁNICA DE CORUXO
IGREJA ROMÁNICA DE CORUXO

A igreja de San Salvador de Coruxo , do século XII, pertenceu inicialmente a um monasterio. A planta apresenta três ábsides semicirculares, sendo de maior tamanho a central. O ábside central tinha três janelas semicirculares mas na actualidade estão muradas. As ábsides são as peças mais importantes e melhor conservadas tanto no interior como o exterior. Os capiteles apresentam personagens humanos, que se definiram tradicionalmente como Adan e Eva por seu aparente nudismo.

IGREJA ROMÁNICA DE CASTRELOS
IGREJA ROMÁNICA DE CASTRELOS

A igreja de Santa María de Castrelos , do século XII, está formada por uma única nave de ábside semicircular e uma planta de 20 por 7 metros. Nos anos 40, depois de um processo de restauração descobriram-se trozos de pinturas murales sobre a vida de Jesucristo e uma inscrição sobre a consagración do templo no ano 1216.