Flora e fauna

Vigo: Flora e fauna

Clima privilegiado

O termo municipal de Vigo caracteriza-se por um clima temperado, com escassas geladas, moderados mudanças de temperatura, precipitações elevadas e com certa seca estival. Podemos dizer que é um clima oceánico de transição ao mediterráneo. Um clima privilegiado para as espécies vegetales cujo crescimento não se vê limitado por causa do clima. O município de Vigo apresenta uma diversidade de microclimas devido à morfología de seu território.

O mar exerce uma acção suavizadora do clima reduzindo a diferença entre as temperaturas estivales e invernais. Os ventos do norte arrastam no verão as águas superficiais quentes, permitindo o afloramiento das águas frias ricas em nutrientes. Devido a sua baixa temperatura estas águas não formam nuvens e são as responsáveis pela seca estival das Rias Baixas.

Flora. Vegetación de Vigo

A vegetación arbórea de carácter oceánico da fachada litoral da Europa Ocidental, está constituída por espécies atlánticas, sendo sua genuino representante o roble. Conservam-se agrupamentos de robles centenários na Guia, San Roque e Quiñones de León. As riberas fluviales apresentam uma frondosa vegetación e uma fauna que se distingue por sua diversidade.

O pino é a espécie mais numerosa junto com os eucaliptos. Três são as espécies de pinos no território vigués: o pino bravo (Pinus pinaster), o pino de repoblación (Pinus radiata) menos disperso, e muito menos abundante o pino manso (Pinus pinea). O eucalipto teve um uso ornamental nos terrenos e jardins de Vigo até que a partir da década dos 40 começam a repoblar com esta espécie originaria do continente australiano. Da mesma origem que o eucalipto são as acacias.

Além das espécies vegetales típicas do bosque galegos, Vigo tem zonas de de grande diversidade como vegetación em humedales ou em dunas e praias e em zonas rocosas.

A prefeitura conta com um inventario de árvores singulares e massas arbóreas naturais de todo o termino municipal de Vigo, ademais foram catalogadas as fronteiras e as árvores espontáneos de maior interesse. O inventario cataloga 226 espécies mais 12 híbridos e um número total de exemplares que ascende a 4259.

Fauna

Existe uma grande variedad de hábitats: marismas, rios e riberas, zonas arboladas, cultivos e praderas, e zonas de matorrales.

Os rios e embalses contam com uma grande diversidade de espécies como: a trucha, a anguila, gobio, perca sol, trucha arcoiris, solla de rio, ... No mar a diversidade é ainda maior como assim o prova a intensa actividade pesqueira.

Em Vigo encontramos 11 espécies de anfibios das 14 presentes na Galiza e das 25 existentes em Espanha. Apresenta uma interessante representação de anfibios, o que a constitui como um lugar de especial interesse no âmbito. Também conta com 13 espécies de reptiles, desde a cobra ratera até a lagartija galega.

Existe uma grande quantidade de espécies de aves. Estas são o principal grupo faunístico indicador a importância biológica de um espaço. Há que distinguir entre as que nidifican em Vigo das que aparecem regularmente em seus passos migratorios. No município de Vigo nidifican 42 espécies. Destacam o azor, o gavilán ou o halcón peregrino ou a multidão de aves marinhas que nidifican nas Ilhas Cíes.

Em Vigo encontramos catalogados a presença de 29 mamíferos dos 60 que se podem encontrar na Galiza. Podemos encontrar: zorros, coelhos, morcegos, ardillas, visón americano, cavalos, ...