Catedral de Notre-Dame .

A Catedral de Notre-Dá-me de París (Cathédrale Notre-Dá-me) é uma das catedrais francesas más antigas de estilo gótico, se empezó a construir em 1136 e se terminó em 1345. Dedicada a María, Mãe de Jesucristo (de ahí o nome Notre-Dá-me, Nossa Señora), se sitúa em peque-aña Ilha da Cité em París, França, a qual está rodeada das águas do ríou Sena.

A planta está demarcada pela formación em cruz romana orientada a Occidente, de eixo longitudinal acentuado, e não é perceptible desde o exterior. A cruz está “incrustada” no edifício, envolvida por um duplo deambulatorio, que circula pelo coro na cabeceira (ao este) e se prolonga paralelamente à nave, dando lugar, así, a quatro naves laterais.

A fachada apresenta três níveis horizontales e está dividida em três zonas verticais pelos contrafuertes ligeiramente prominentes que unem em verticalidad os dois andares inferiores e reforçam os bicos das duas torres.

As torres têm 69 metros de altura
. A torre sul contém a famosa sino Emmanuel. Pode visitar-se, passando pela galería de as quimeras.

A catedral surge íntimamente unida à ideia do esplendor gótico, a efeito claro das necessidades e aspirações da sociedade da épouca, a um novo enfoque da catedral como edifício de contacto e ascensão espiritual. A arquitectura gótica é um instrumento poderoso no seio de uma sociedade que vê, no início do século XI, se transformar a vida urbana a um ritmo acelerado. A cidade resurge com uma extrema importância no campo político, no campo económico (espelho das crescentes relações comerciais), ascendendo también, por seu lado, a burguesía adinerada e a influência do clero urbano. O resultado disto é uma sustitución también das necessidades de construcción religioso fosse das cidades, nas comunidades monárquicas rurais, pelo novo símbolo da prosperidade citadina, a catedral gótica. E como reposta ao búsqueda de uma nova dignidade crescente no seio da França, surge a Catedral de Notre-Dá-me de París.

Destaca particularmente seu magnífico órgano Cavaille-Coll, sendo a praça de organista titular de Notre-Dá-me um do más altos honras aos que pode aspirar um organista. Esta praça foi ocupada pelo genial organista e compositor francés Louis Vierne entre os añvos 1900 e 1937, épouca que se recorda como a do maior esplendor da Catedral como centro artístico e musical.

A catedral foi, no final do século XVII, durante o reinado de Luis XIV, palco de alterações substanciais principalmente na zona este, na que túmulos e vidrieras foram destruídas para substituir por elementos más ao gosto do estilo artístico da épouca, o Barroco. Em 1793, durante a Revolución francês e baixo o culto à razón, más elementos da catedral foram destruídos e muitos de seus tesouros roubados, acabando o espaço em sí por servir de almacén para alimentos.

Com o florescer da épouca romántica, a catedral vê-se com outros olhos e a filosofía vira-se para o passado, enalteciendo e mistificando em uma aura poética e etérea a história de outras époucas e sua expresión artística. Baixo esta nova luz do pensamento inicia-se um programa de restauración da catedral em 1844, liderado pelos arquitectos Eugène Viollet-lhe-Duc e Jean-Baptiste-Antoine Lassus, que se extendió por veintitrés añvos.

Existe aún nesta catedral uma dualidad de influências estilísticas: por um lado, reminiscências do románico normando, com seu forte e compacta unidade, por outro lado, o já inovador aprovechamiento das evoluções arquitectónicas do gótico, que confieren ao edifício uma ligereza e aparente facilidade na construcción vertical e no suporte do peso de sua estrutura (sendo o esqueleto de suporte estrutural visível sóo desde o exterior).

Más información: www.wikipedia.org